Esta é uma versão desatualizada publicada em 2020-06-29. Leia a versão mais recente.

O TRABALHO DE CAMPO COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE GEOGRAFIA: APLICABILIDADE NO MUNICÍPIO DE SETE LAGOAS-MG

Autores

  • Ricardo Henrique Palhares Universidade Estadual de Montes Claros
  • Alysson Cley de Souza Ferreira Universidade Estadual de Montes Claros

DOI:

https://doi.org/10.46551/rvg26752395202016780

Palavras-chave:

Trabalho de campo, Ensino de Geografia, Metodologia de ensino, Sete Lagoas

Resumo

De modo geral, a criação de um município, em qualquer de suas fases (povoado, vila ou cidade) esteve relacionado a três fatores: importância (local ou regional), condições do local (geologia, geomorfologia, recursos naturais) e potencial de desenvolvimento atual e futuro (econômico, humano e político). Sete Lagoas foi criada inicialmente com estes três aspectos em posição secundária devido à proximidade e relação com a Região Metropolitana de Belo Horizonte. Levantar estes aspectos em campo auxilia no entendimento do arcabouço físico e social e favorece o entendimento de como e quando o desenvolvimento continuará a ocorrer no município e região. A adoção de estudos de Geografia Urbana com atividades de campo propicia aos professores de Geografia melhores condições de repassar aos alunos conhecimento teórico e técnico, assim como incentivo na criação de ideias e concepções para o futuro do local a ser estudado. Os resultados apresentados demonstram que a prática de campo é fundamental ao profissionais de geografia, visto que a teoria associada a prática auxilia no desenvolvimento de qualquer plano municipal, desde sua instalação, desenvolvimento e conclusão, mesmo que estes três estágios estejam sempre sendo modificados ou atualizados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Henrique Palhares, Universidade Estadual de Montes Claros

Professor do Departamento de Geociências e PPGEO - Unimontes

Alysson Cley de Souza Ferreira, Universidade Estadual de Montes Claros

Mestrando em Geografia – PPGEO/ UNIMONTES.

Referências

ALENTEJANO, P. R. R.; ROCHA-LEÃO, O. M. Trabalho de Campo: uma ferramenta essencial para os geógrafos ou um instrumento banalizado? Boletim Paulista de Geografia, São Paulo, nº 84, p. 51-57. 2006.

AMORIM FILHO, O. B.; SENA FILHO, N. A morfologia das cidades médias. Goiânia: Ed. Vieira, 2005.

CAVALCANTI, L. de S. Geografia, escola e construção de conhecimentos. Campinas: Papirus, 1998.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Cidades e Estado. Estimativas da população, 2019.

Downloads

Publicado

2020-06-26 — Atualizado em 2020-06-29

Versões

Como Citar

Henrique Palhares, R., & Cley de Souza Ferreira, A. . (2020). O TRABALHO DE CAMPO COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE GEOGRAFIA: APLICABILIDADE NO MUNICÍPIO DE SETE LAGOAS-MG. Revista Verde Grande: Geografia E Interdisciplinaridade, 2(01), 67-80. https://doi.org/10.46551/rvg26752395202016780 (Original work published 26º de junho de 2020)