APONTAMENTOS SOBRE O SERVIÇO SOCIAL NO CONSULTÓRIO NA RUA

Autores

  • Raimara Gonçalves Pereira
  • Rita de Cássia Ferraz Oliveira
  • Pollyana Rodrigues Gomes

Palavras-chave:

Serviço Social, Política Nacional de Saúde, Consultório na Rua

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMARANTE, Paulo. Loucos pela vida: a trajetória da reforma psiquiátrica no Brasil. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz,136p., 1995.

AMARANTE, Paulo. Psiquiatria Social e Reforma Psiquiátrica. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Residências terapêuticas: o que são, para que servem. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Reforma psiquiátrica e política de saúde mental no Brasil. Documento apresentado à Conferência Regional de Reforma dos Serviços de Saúde Mental: 15 anos depois de Caracas. OPAS. Brasília, novembro de 2005.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento deAtenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. Ministério da Saúde. Secretariade Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde,2012. Disponível em:http://189.28.128.100/dab/docs/ publicacoes/geral/pnab.pdf .Acesso em 11 de março de 2022.

BRASIL. Portaria nº 3.088, de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual sobre o cuidado à saúde junto a população em situação de rua. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. – Brasília : Ministério da Saúde, 2012.

BRASIL. Portaria nº 3.588, de 21 de dezembro de 2017, que altera as Portarias de Consolidação nº 3 e nº 6, de 28 de setembro de 2017, para dispor sobre a Rede de Atenção Psicossocial, e dá outras providências. Diário oficial da União, 22 de dezembro de 2017.

BRAVO, Maria Inês Souza. Política de Saúde no Brasil. In: MOTA, Ana Elizabeteet.al.(Org.) Serviço Social e Saúde: Formação e Trabalho Profissional.2.Ed. SãoPaulo: Cortez, OPAS, OMS, Ministério da Saúde, 2006.

CRESS. Código de ética do/a assistente social. Lei 8.662/93 de regulamentação daprofissão. 10ª ed. revista e atualizada. Brasília: Conselho Federal de Serviço Social,2012. Disponível em: http://www.cfess.org.br/ arquivos/CEP_CFESS-SITE.pdf . Acesso em em 11 de março de 2022.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Organização e tradução de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. (Título Original: Surveiller et punir. Traduzido por Raquel Ramalhete). 37 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

HOFFMANN, Edla. O trabalho das assistentes sociais no Programa Saúde da

Família: PSF na região norte do estado do Rio Grande do Sul. 2007. 136 f. Dissertação

(Mestrado em Serviço Social) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul,

Porto Alegre, 2007.

JORGE, Maria Salete Bessa. et al. Reabilitação psicossocial: visão da equipe de saúde mental. Revista Brasileira de Enfermagem., v.59, n.6, p.734-9, 2006.

MENDES, Eliane Soares; BRITO, Eliane Castelo Branco de Andrade. A inserção do

serviço social na atenção básica do município de Cristino Castro-PI. UMA-SUS.

MEDEIROS, Soraya Maria de; GUIMARÃES, Jacileide. Cidadania e saúde mental no Brasil: contribuição ao debate. Ciência & Saúde Coletiva, 7(3):571-579, 2002.

MEDEIROS, Tácito. Formação do modelo assistencial psiquiátrico no Brasil. Instituto de Psiquiatria da UFRJ, Rio de Janeiro. (mimeo.) Dissertação de mestrado. 1977.

FIOCRUZ.2020. Disponível em: https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/14664.

Acesso em 21 de abril de 2022.

NICACIO, Erimaldo. Rupturas e encontros: desafios da reforma psiquiatrica brasileira. Cadernos de Saúde Pública. 2011, v. 27, n. 3, pp. 612-613. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0102-311X2011000300023>.Acesso em 26 Abril 2022.

OLIVEIRA, Andreia de; GHIRALDELLI, Reginaldo. O Serviço Social na atenção primária à saúde. Revista Em Pauta. Rio de Janeiro - 2º Semestre de 2019 - n. 44, v. 17, p. 255 – 273. Disponível em: https://www.epublicacoes.uerj.br/index.php/ revistaempauta/article/download/45243/30956. Acesso em: 11 de abril de 2022.

SANTANA, Carmen. Consultórios de rua ou na rua? Reflexões sobre políticas de abordagemà saúde da população de rua. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 30, n. 8, p.1798-1799, Ago 2014. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script= sci_arttext&pid=S0102-311X2014000801798&lng=en&nrm=iso. Acesso em 11 de março de 2022.

SODRÉ, Francisco. Serviço Social entre a prevenção e a promoção da saúde:

tradução, vínculo e acolhimento. Serviço Social & Sociedade [online]. 2014, n. 117, pp.

-83. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0101-66282014000100005 . Acesso em

março de 2022.

VASCONCELOS, Eduardo Mourão. Complexidade e pesquisa interdisciplinar: epistemiologia e metodologia operativa. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

Downloads

Publicado

2022-08-08

Como Citar

Gonçalves Pereira, R. ., Ferraz Oliveira, R. de C. ., & Rodrigues Gomes, P. . (2022). APONTAMENTOS SOBRE O SERVIÇO SOCIAL NO CONSULTÓRIO NA RUA. Revista Serviço Social Em Perspectiva, 6(Especial), 158–171. Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/sesoperspectiva/article/view/5624

Edição

Seção

Comunicação Oral - Serviço Social, Trabalho e Formação