APREENSÕES DA QUESTÃO SOCIAL NO BRASIL E AS RELAÇÕES RACIAIS

SUPEREXPLORAÇÃO, LUTA POR DIREITOS E DEMOCRACIA

Autores

  • Gustavo Gonçalves Fagundes UFRJ

Palavras-chave:

Questão Social, Relações Raciais, Movimentos Sociais, Serviço Social, Cidadania

Resumo

O artigo expõe os entrelaçamentos da questão social e das relações raciais no Brasil, aponta as conexões já apresentadas nas obras clássicas da profissão e as atualizações desenvolvidas ao longo dos anos. Aborda a superexploração como traço estrutural da formação social brasileira em particular e do capitalismo dependente em geral, sendo ressaltada sua íntima relação com a questão racial no país. Feito esse acúmulo e apanhado histórico, é abordado a centralidade da luta por direitos e cidadania para o Serviço Social, com ênfase na relação com os movimentos sociais e a necessidade de uma compreensão crítica do espaço sócio-ocupacional dos assistentes sociais. Por fim, esse conjunto de elementos a questão democrática, um aspecto tão central nos tempos atuais e que possui detratores escorados na opressão racial e agudização da superexploração como forma de viabilizar uma maior restrição da democracia e dos direitos da classe trabalhadora em geral. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Gonçalves Fagundes, UFRJ

Doutorando e mestre em Serviço Social pela UFRJ. Professor substituto da Faculdade de Serviço Social da UFJF. Assistente social. Colaborador do Grupo de Pesquisa e Estudo em Questão Racial e Serviço Social (GEPEQSS/ESS-UFF). Integrante do grupo de pesquisa Superexploração, racismo estrutural e alienação (LEMARX-TMD/ESS-UFRJ).

 

Referências

ALMEIDA, Magali da Silva. Desumanização da população negra: genocídio como princípio tácito do capitalismo. EM PAUTA, Rio de Janeiro, v. 12, n. 34, p. 31-154,jul./dez. 2014.

ALMEIDA, Ney Luiz Teixeira de. (2013). Opção por um projeto profissional vinculado ao processo de construção de uma nova ordem societária, sem dominação, exploração de classe, etnia e gênero. In: Projeto ético-político e exercício profissional em Serviço Social: os princípios do código de ética articulados à atuação crítica de assistentes sociais / Conselho Regional de Serviço Social (Org.). Rio de Janeiro: CRESS.

ALMEIDA, Silvio. Racismo Estrutural. Pólen. São Paulo. 2019.

ALMEIDA, Sheila Dias. Serviço Social e relações raciais: caminhos para uma sociedade sem classes. Temporalis, Brasília (DF): Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social, ano 15, n. 29, jan./jun. 2015.

ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo Editorial, 2018.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL. Subsídios para o debate sobre a questão étnico-racial na formação em Serviço Social. Temporalis, Brasília (DF), Abepss, ano 18, n. 36, p. 422-434, jul./dez. 2018.

BAMBIRRA, Vânia. O Capitalismo Dependente Latino-Americano. Florianópolis: Insular, 2012.

BEHRING, Elaine Rosseti; SALVADOR, E. S.; LIMA, Rita de Lourdes de (Org.). Crise do Capital e Fundo Público: implicações para o trabalho, os direitos e a política social. 1. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2019.

BOSCHETTI, Ivanete. Expropriação de direitos e reprodução da força de trabalho. In: BOSCHETTI, Ivanete (org). Expropriação e Direitos no Capitalismo. São Paulo: Cortez, 2018.

DURIGUETTO, Maria Lúcia. (2014). Movimentos sociais e Serviço Social no Brasil após-anos 1990: desafios e perspectivas. In: Movimentos Sociais e Serviço Social: uma relação necessária/ ABRAMIDES, Maria Beatriz, DURIGUETTO, Maria Lúcia (Orgs.). São Paulo: Cortez.

DURIGUETTO, M. L; DEMIER, Felipe Abranches . Democracia blindada, contrarreformas e luta de classes no Brasil contemporâneo. ARGUMENTUM (VITÓRIA), v. 9, p. 8, 2017.

EURICO, Marcia. A luta contra as explorações/opressões, o debate étnico-racial e o trabalho do assistente social. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, ano 39, n. 133, 2018.

EURICO, Marcia. Da escravidão ao trabalho livre: contribuições para o trabalho do assistente social. SER Social, Brasília (DF), v. 19, n. 41, p. 414-427, jul.-dez./2017.

FERREIRA, Carla. C. C; FAGUNDES, G. G. Dialética da questão social e a unidade classe, gênero e raça. Temporalis, Brasília (DF), ano 21, n. 42, p. 62-76, jul./dez. 2021.

LUCE, Mathias. Teoria Marxista da Dependência: Problemas e categorias. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

MARINI, Ruy Mauro. Dialética da dependência. In; TRASPADINI, Roberta; STEDILE, João Pedro. (org) Ruy Mauro Marini: vida e obra. Expressão Popular. São Paulo. 2005. p.137-180.

MONTAÑO, Carlos & DURIGUETTO, Maria Lúcia. Estado, Classe e movimento social. 3 ed. São Paulo. Cortez. 2011.

PROCOPIO, A. P. Silva. Resistências negras e amefricanidade: diálogos entre Clóvis Moura e Lélia Gonzalez para o debate antirracista das relações de classe na América latina. Revista Fim do Mundo, no 4, jan/abr 2021.

QUEIROZ, M. V. L. Clóvis Moura e Florestan Fernandes: interpretações marxistas da escravidão, da abolição e da emergência do trabalho livre no Brasil. Revista Fim do Mundo, no 4, jan/abr2021.

ROCHA, Roseli. A inserção da temática étnico-racial no processo de formação em Serviço Social e sua relação com a educação antirracista. In: ABRAMIDES, M. B. C.; DURIGUETTO, M. L. Movimentos Sociais e Serviço Social: uma relação necessária. São Paulo: Cortez. 2014.

SANTOS, Cláudia Mônica dos. Os instrumentos e técnicas: mitos e dilemas na formação profissional do assistente social no Brasil. – Rio de Janeiro: UFRJ. 2006.

Downloads

Publicado

2022-08-08

Como Citar

Gonçalves Fagundes, G. (2022). APREENSÕES DA QUESTÃO SOCIAL NO BRASIL E AS RELAÇÕES RACIAIS: SUPEREXPLORAÇÃO, LUTA POR DIREITOS E DEMOCRACIA. Revista Serviço Social Em Perspectiva, 6(Especial), 469–480. Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/sesoperspectiva/article/view/5621

Edição

Seção

Comunicação Oral - Gênero, Raça, Etnia e Geração