A ATUAÇÃO DA E DO ASSISTENTE SOCIAL EM SITUAÇÕES DE CALAMIDADE PÚBLICA E EMERGÊNCIA

UM RELATO DE EXPERIÊNCIA NO MUNÍCIPIO DE PATOS DE MINAS-MG

Autores

  • Amanda de Oliveira Alves Prefeitura de Patos de Minas-MG
  • Carolina Poswar de Araújo Camenietzki UFU
  • Nayla Cristiana Beraldo Gonçalves Prefeitura de Patos de Minas-MG

Palavras-chave:

Serviço Social, Assistência Social, Desastres, Situação de emergência

Resumo

O presente trabalho expõe um debate reflexivo sobre a atuação da e do Assistente Social em situações de calamidade pública e emergência, a partir do contexto emergencial vivenciado em Patos de Minas-MG no início de 2022 em virtude das intensas chuvas e enchentes do rio Paranaíba. O seu objetivo concentra-se na socialização de aspectos que interrelacionam Serviço Social, desastres socioambientais e Assistência Social. A metodologia utilizada compreendeestudo teórico-bibliográfico,pesquisa documental e levantamento de dados quantitativos produzidos no município pela Central de Atendimento Social às Vítimas das Enchentes (CASVE). As análises efetuadas indicam o protagonismo desta categoria profissional na concretização de práticas interventivas para essas expressões da questão social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda de Oliveira Alves, Prefeitura de Patos de Minas-MG

Bacharel em Serviço Social pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Graduanda em Letras Português-Inglês pela Universidade Cesumar (UniCesumar). Especialista em Política de Assistência Social e Gestão do SUAS pela Faculdade Pitágoras de Belo Horizonte-MG. Assistente Social do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do município de Patos de Minas-MG. Lattes: http://lattes.cnpq.br/5475943359068848. Orcid: https://orcid.org/0000-0001-5378-488X. E-mail: email.amandaalves@gmail.com.

Carolina Poswar de Araújo Camenietzki, UFU

Bacharel em Serviço Social pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). Doutora em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Mestre em Desenvolvimento Social pela UNIMONTES. Assistente Social da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) campus Patos de Minas-MG. E-mail: carolposwar@hotmail.com.

Nayla Cristiana Beraldo Gonçalves, Prefeitura de Patos de Minas-MG

Bacharel em Serviço Social pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Especialista em Políticas Públicas, Gestão e Serviços Sociais pela Universidade Cândido Mendes (UCAM). Mestranda em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Assistente Social da Vigilância Socioassistencial do município de Patos de Minas-MG. E-mail: naylacristi@gmail.com.

Referências

AVILA, M. R. R.; MATTEDI, M. A.; SILVA, M. S. Serviço Social e desastres: campo para o conhecimento e a atuação profissional. Serv. Soc. São Paulo, n.129, p. 343-365, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/sssoc/a/jdPxJLQ3dMQwZf9NXwym4Cz/?lang=pt. Acesso em: 11 fev. 2022.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso: 15 abr. 2020.

BRASIL. Presidência da República. Lei federal nº 8.742, de 7 de dezembro de 1993. Dispõe sobre a organização da Assistência Social e dá outras providências. Brasília, DF, 1993. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8742.htm>. Acesso em 04 fev. 2022.

BRASIL. Ministério da Cidadania. Secretaria Nacional de Assistência Social. Diretrizes para a atuação da Política de Assistência Social em contextos de emergência socioassistencial. Brasília, DF, 2021.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Assistência Social. Política Nacional de Assistência Social. Brasília, DF, 2004.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Assistência Social. Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais. Brasília, DF: MDS, 2009.

BRASIL. Ministério Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Portaria nº 90, de 3 de

setembro de 2013. Dispõe sobre os parâmetros e procedimentos relativos ao cofinanciamento

federal para oferta do Serviço de Proteção em Situações de Calamidades Públicas e

Emergências. Brasília, 2013.

CARVALHO, D.B.B.; SILVA e SILVA, M.O. Recursos humanos e atividades de formação dos programas de Pós-Graduação na área de Serviço Social. In: CARVALHO, D.B.B.; SILVA e SILVA, M.O. (Org.). Serviço Social, pós-graduação e produção do conhecimento no Brasil. São Paulo: Cortez, p. 51-68, 2005.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL – CFESS. Regulamentação da profissão (Lei nº 8662, de 07 de junho de 1993). Brasília: CFESS, 1993a.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL – CFESS. Resolução nº 273/93. Institui o Código de Ética profissional dos Assistentes Sociais. Brasília: CFESS, 1993b.

CONSELHO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL (CNAS). Resolução nº 12, de 11 de junho de 2013. Aprova os parâmetros e critérios para transferências de recursos do

cofinanciamento federal para a oferta do Serviço de Proteção em Situações de Calamidades

Públicas e de Emergências no âmbito do Sistema Único de Assistência Social – SUAS e dá

outras providências. Brasília, 2013.

CONSELHO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL (CNAS). InformeCNAS nº.05/2021:12ª Conferência Nacional de Assistência Social. Orientações temáticas e organizativas para a Conferência de Assistência Social do Distrito Federal de 2021. Brasília, 2021. Disponível em: http://conselhos.social.mg.gov.br/ceas/images/Conferencias/informe%205-21-cnas.pdf. Acesso em: 27 mar. 2022.

GUERRA, Yolanda. A dimensão técnico-operativa do exercício profissional. In: SANTOS, Cláudia Mônica; BACKX, Sheila; GUERRA, Yolanda. A dimensão técnico-operativa no Serviço Social: desafios contemporâneos (orgs.). 3.ed. São Paulo: Cortez, 2017.

IAMAMOTO, Marilda Vilela. O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. 13. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

LOUREIRO, C.F.B. prefácio. In: SILVA, M. G. Questão ambiental e desenvolvimento sustentável: um desafio ético-político ao Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2010.

MÉSZAROS, I. Produção destrutiva e estado capitalista. São Paulo: Ensaio, 1989.

MINAS GERAIS. Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social. Subsecretaria de

Assistência Social. Caderno de Orientações: atuação socioassistencial em contextos de

emergência e calamidade pública. Belo Horizonte, 2020.

NUNES, L.S. A questão socioambiental e a atuação do assistente social. Textos & Contextos, Porto Alegre, v.12, n.1, jan./jun.2013. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fass/article/viewFile/13337/9623#:~:text=Integrando%20o%20escopo%20de%20profiss%C3%B5es,sociais%20e%20pol%C3%ADticas%20do%20ambiental. Acesso em: 12 fev. 2022.

NUNES, L.S.; FREITAS, R.C.M. A contribuição do pensamento de Karl Marx para se (re)pensar a educação Ambiental. In: ENCONTRO PESQUISA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL, 6., 2011, Ribeirão Preto. Anais. Ribeirão Preto, 2011.

Downloads

Publicado

2022-08-08

Como Citar

de Oliveira Alves, A. ., Poswar de Araújo Camenietzki, C. ., & Cristiana Beraldo Gonçalves, N. . (2022). A ATUAÇÃO DA E DO ASSISTENTE SOCIAL EM SITUAÇÕES DE CALAMIDADE PÚBLICA E EMERGÊNCIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA NO MUNÍCIPIO DE PATOS DE MINAS-MG. Revista Serviço Social Em Perspectiva, 6(Especial), 530–543. Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/sesoperspectiva/article/view/5570

Edição

Seção

Comunicação Oral - Questão Urbana, Agrária e Ambiental