REINSERÇÃO SOCIAL DE MULHERES EM SITUAÇÃO DE CÁRCERE

LIÇÕES DO PROJETO DESENVOLVIDO NA APAC DE RIO PIRACIACABA/MG

Autores

  • Luiz Claudio Almeida Teodoro Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais - CEFET/MG
  • Roseane de Aguiar Narciso Lisboa Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais - CEFET/MG

Palavras-chave:

Reinserção Social, Trabalho, Políticas Públicas, Sistema Prisional

Resumo

Este trabalho busca analisar as políticas públicas desenvolvidas, no mundo do trabalho, para reinserção social de mulheres que estão em situação de privação da liberdade. A ideia é refletir esta questão a partir de um projeto de pesquisa e extensão que foi desenvolvido na APAC da cidade de Rio Piracicaba. Na lógica da extensão foram realizadas oficinas de formação em economia solidária com as recuperandas, além de várias atividades para viabilizar uma rede de negócios solidários. No que se refere à pesquisa, foi feita revisão bibliográfica, entrevistas e análise documental, para coletar os dados. Apesar do projeto ainda está em andamento, pode-se analisar várias questões a respeito da reinserção social e do empoderamento de mulheres que estão no sistema carcerário, neste caso na Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (APAC). A realidade do sistema prisional no Brasil é perversa, não se tem uma estrutura que de fato recupere as pessoas, contribuindo com a lógica do senso comum de que “bandido bom é bandido morto”. A experiência com a APAC aponta que é possível reinserir a mulher no convívio social, superando os preconceitos e criando alternativas pela via do mundo do trabalho, a partir dos pressupostos da economia solidária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Claudio Almeida Teodoro, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais - CEFET/MG

Doutor em Ciências Políticas e Professor do Departamento de Ciências Sociais e Filosofia do CEFET MG

Referências

ANDRADE, D. A. APAC: a face humana da prisão. Belo Horizonte, Lutador, 2016.

BRASIL. Constituição (1988) Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 2001.

_______. Lei de Execução Penal. Brasília: Casa Civil, 1984.

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. http://www.forumseguranca.org.br/estatisticas/introducao/. Acesso em 19 de setembro de 2017.

IBGE. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/rio-piracicaba/panorama. Acesso em 19 de setembro de 2017.

INFOPEN. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias. http://dados.mj.gov.br/dataset/infopen-levantamento-nacional-de-informacoes-penitenciarias. Acesso em 21 de setembro de 2017.

LOWI, Theodore J. Distribuição, Regulação, Redistribuição: as funções do governo. New York: W. W. Northon e Company.1966

QUEIROZ, Nana. Presos que Menstruam. Rio de Janeiro, Saraiva, 2015.

SANTOS, Wanderley Guilherme. Razões da Desordem. Rio de Janeiro:Rocco.1994.

SOUZA, Celine. Políticas Públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, ano 8, n. 16, jul/dez 2006, p. 20-45.

ZAULI, Eduardo Meira. Políticas Públicas e Políticas Sociais. Revista Pensar BH/Política Social. Belo Horizonte, SCOMPS/BH, 20

Downloads

Publicado

2020-01-14

Como Citar

Claudio Almeida Teodoro, L., & de Aguiar Narciso Lisboa, R. (2020). REINSERÇÃO SOCIAL DE MULHERES EM SITUAÇÃO DE CÁRCERE : LIÇÕES DO PROJETO DESENVOLVIDO NA APAC DE RIO PIRACIACABA/MG. Revista Serviço Social Em Perspectiva, 2(2), 129–145. Recuperado de https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/sesoperspectiva/article/view/343