CRONOTIPO E QUALIDADE DE VIDA EM TRABALHADORES DE ENFERMAGEM DE CLÍNICAS CIRÚRGICASCRONOTIPO E QUALIDADE DE VIDA EM TRABALHADORES DE ENFERMAGEM DE CLÍNICAS CIRÚRGICAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.46551/rnm23173092202090103

Palavras-chave:

Qualidade de vida, Equipe de enfermagem, Ritmo circadiano, Saúde do trabalhador, Trabalho em Turnos

Resumo

Objetivo: Analisar a qualidade de vida e cronotipo em trabalhadores de enfermagem de clínica cirúrgicas. Método: estudo transversal e analítico, realizado com 93 trabalhadores de enfermagem atuantes em clínicas cirúrgicas de hospitais universitários da região Sul do Brasil. Utilizou-se para a coleta de dados questionário para caracterização sociolaboral/de saúde, Questionário de Matutinidade-Vespertinidade de Horne e Östberg e o WHOQOL-BREF. Os dados foram analisados por meio da estatística descritiva e analítica e adotou-se intervalo de confiança de 95%. Resultados: Predominaram os trabalhadores com cronotipo matutino, que apresentaram melhor percepção da qualidade de vida em todos os domínios. Trabalhadores com tendência a matutinidade estão concordantes com turno de trabalho (p=0,003) e associaram-se a melhor percepção da qualidade de vida nos domínios social (p=0,005) e ambiental (p=0,041). Conclusão: Trabalhadores concordantes com turno de trabalho e cronotipo apresentaram melhor percepção da qualidade de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Comissão para Igualdade no trabalho e no emprego. Código do trabalho, artigo 220º de 2016, Disponível em <http://cite.gov.pt/pt/legis/CodTrab_indice.html> Acesso em 13 jan 2018.
2. EUROFOUND. European Foundation for the Improvement of Living and Working Conditions. (2015). Improving working conditions in occupations with multiple disadvantages. Luxembourg: Publications Office of the European Union. Disponível em<http://digitalcommons.ilr.cornell.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1493&context=intl> Acesso em 20 jan 2020.
3. Costa KNFM, Costa TF da, Marques DRF et al. Qualidade de vida relacionada à saúde dos profissionais de enfermagem. Rev enferm UFPE on line. 2017;11(Supl. 2):881-9.
4. Silva AE, Lima PKM, Oliveira C. Qualidade de vida dos profissionais de enfermagem de nível médio em unidade de terapia intensiva. R Enferm Cent O Min. 2016; 6(3):2318-30.
5. Treven Pišljar, N., Štukovnik, V., Zager Kocjan, G., & Dolenc-Groselj, L. (2019). Validity and reliability of the Slovene version of the Morningness-Eveningness Questionnaire. Chronobiol Int. 2019;36(10):1409-17.
6. Argentac, Benbenishtyj, Flaatten H. Chronotypes, night shifts and intensive care. Intensive Care Med. 2015; 41(4):698-700.
7. Zhang Y, Duffy JF, Castillero ER, Wang K. Chronotype, Sleep Characteristics, and Musculoskeletal Disorders Among Hospital Nurses. Workplace Health Saf. 2018 Jan;66(1):8-15.
8. Horne JA, Ostberg O. A self-assessment questionnaire to determine morningness-eveningness in human circadian rhythms. Int J Chronobiol. 1976; 4(2): 97-110.
9. Ching-Yi L, Hsi-Chung C, Mei-Chih MT, Hsin-Chien L, Lian-Hua H. The relationships among sleep quality and chronotype, emotional disturbance, and insomnia vulnerability in shift nurses. Journal of Nursing Research. 2015; 23(3):225–35.
10 Silva RM, Zeitoune RCG, Beck CLC, Souza SBC, Santos E. Cronótipo e acidente de trabalho na equipe de enfermagem de uma clínica cirúrgica. Texto Contexto Enferm. 2015; 24(1): 245-52.
11 Reinke L1, Özbay Y, Dieperink W, Tulleken JE. The effect of chronotype on sleepiness, fatigue, and psychomotor vigilance of ICU nurses during the night shift. Intensive Care Med. 2015;41(4):657-66.
12 Benedito-Silva AA, Menna-Barreto L, Tenreiro S. Self-assessment questionnaire for the determination of morningness-eveningness types in Brazil. Prog Clin Biol Res. 1990; 314B:89-98.
13. Souza, SBC de et al. Influência do turno de trabalho e cronotipo na qualidade de vida dos trabalhadores de enfermagem. Rev Gaúcha Enferm. 2012;33(4):79-85.
14 Fleck MPA, Louzada D, Xavier M, Chachamovich E, Vieira G, Santos L. et al. Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida “WHOQOL-bref”. Rev Saúde Pública. 2000;34(2):178-83.
15 Soares JPS, et al. Qualidade de Vida, Estresse, Nível de Atividade Física e Cronotipo dos Auxiliares/Técnicos de Enfermagem em Unidades de Pronto Atendimento em Palmas/TO. Revista CPAQV – Centro de Pesquisas Avançadas em Qualidade de Vida. 2017; 9(1):2.
16 Rezende LCM, et al. Acidentes de trabalho e suas repercussões na saúde dos profissionais de enfermagem. Rev Baiana de Enfermagem. 2015; 29(4):307-17.
17. Cheng WJ1, Hang LW. Late chronotype and high social jetlag are associated with burnout in evening-shift workers: Assessment using the Chinese-version MCTQshift. Chronobiol Int. 2018 Jul;35(7):910-919.
18. Choi SJ, Song P, Suh S, Joo WY, SSung Ik Le. Insomnia Symptoms and Mood Disturbances in Shift Workers with Different Chronotypes and Working Schedules J Clin Neurol. 2020 Jan; 16(1): 108–115.

Publicado

2020-05-04

Edição

Seção

Artigos Originais