A Liga das Nações em tempos de crise

O diplomata como intelectual mediador

Autores

  • Filipe Queiroz de Campos Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

DOI:

https://doi.org/10.46551/issn2179-6807v27n1p98-117

Palavras-chave:

Liga das Nações, Diplomacia, Entreguerras, Intelectuais Mediadores, Primeira Guerra Mundial

Resumo

Após a Primeira Guerra Mundial, o Brasil pleiteou um assento permanente no Conselho de Segurança da Liga da Nações, organização que buscava construir uma diplomacia multilateral, para que se evitasse novas guerras mundiais. A diplomacia brasileira na Liga das Nações ficou conhecida pela historiografia por apresentar decisões nada diplomáticas. O Brasil vetou a entrada da Alemanha na Liga, causando desconforto internacional, bem como exigiu o assento permanente como condição para continuar na organização, se retirando definitivamente da Liga em 1926. Sobre as razões por trás dessas decisões, contudo, há muito que se debater. Até então, a historiografia vinha apontando que foram decisões tomadas devido à personalidade impetuosa e intransigente do presidente Arthur Bernardes. Novas pesquisas, contudo, demonstram que há razões mais complexas por trás das decisões de Bernardes. Essas razões se ligam às relações de poder entre o Presidente e seus diplomatas. Nesse artigo, analisaremos essas relações de poder entre Arthur Bernardes e seus informantes internacionais, por meio da categoria de intelectuais mediadores de Ângela de Castro Gomes, para investigarmos mais detidamente o processo de tomada de decisões que levaram o Brasil a sair da Liga das Nações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Filipe Queiroz de Campos, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

Doutorando no programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Juiz de Fora. ORCID: 0000-0001-8820-9957. E-mail: filipeqc@hotmail.com

Referências

AMARAL, Aracy. O modernismo brasileiro e o contexto cultural dos anos 20. Revista USP. São Paulo, n. 94, p. 9-18, jun./jul./ago. 2012.

BARACUHY, Braz. A Crise da Liga das Nações de 1926: Realismo Neoclássico, Multilateralismo e a Natureza da Política Externa Brasileira. CONTEXTO INTERNACIONAL: Rio de Janeiro, vol. 28, no 2, julho/dezembro 2006, pp. 355-397.

CAMPOS, Filipe Queiroz de. Diplomacias Secretas: o Brasil na Liga das Nações. Curitiba: Editora Appris, 2020.

CAMPOS, Filipe Queiroz de. Tensões Entre a Diplomacia Brasileira e a Latino-americana na Liga Das Nações na década de 1920. FDC 2019, 4, 42-63.

CERVO, Amado e BUENO, Clodoaldo. História da Política Exterior do Brasil. Brasília: Editora Un, 2002.

CORREA, Sílvia Adriana Barbosa. Cem anos de Historiografia da Primeira Guerra Mundial: entre história transnacional e política nacional. Topoi, Rio de Janeiro, v. 15, n. 29, p. 650-673, jul./dez. 2014. Disponível em: http://www.revistatopoi.org/topoi29/ENSAIO_650.pdf

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 8. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1989.

GARCIA, Eugênio Vargas. O Brasil e a Liga das Nações (1919-1926). Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Gomes, Angela de Castro; Hansen, Patrícia Santos. Apresentação- Intelectuais, mediação cultural e projetos políticos: uma introdução para a delimitação do objeto de estudo. In: Gomes, Angela de Castro; Hansen, Patrícia Santos (orgs). Intelectuais mediadores: práticas culturais e ação política. Rio de Janeiro, Editora Civilização Brasileira, 2016

HILTON, Stanley. Afrânio de Melo Franco e a diplomacia brasileira, 1917-1943. Revista brasileira de política internacional, a. XXIX, n. 1, 1986, p. 15.

MORENO, Jean Carlos. Revisitando o conceito de identidade nacional. In: RODRIGUES, C. C.; LUCA, T. R., and

GUIMARÃES, V. (Orgs.). Identidades brasileiras: composições e recomposições [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2014, pp. 7-29. Desafios Contemporâneos collection. ISBN 978-85-7983-515-5. Available from SciELO Books <http://books.scielo.org>.

SANTOS, Norma Breda dos. Grand Days: noventa anos depois de o Brasil ter deixado Genebra, o que diz a historiografia sobre a participação brasileira na Liga das Nações (1920-1926)? Cadernos de Política Exterior, ano II, n. 3, jan. /jul. 2016

WINTER, Jay (Ed.). The Legacy of the Great War: Ninety Years On. Columbia; Londres: University of Missouri Press, 2009.

Downloads

Publicado

2021-08-16

Como Citar

Queiroz de Campos, F. (2021). A Liga das Nações em tempos de crise: O diplomata como intelectual mediador. Revista Desenvolvimento Social, 27(1), 98–117. https://doi.org/10.46551/issn2179-6807v27n1p98-117