A INQUIRIÇÃO JUDICIAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES E SUA INTERFACE COM OS DIREITOS HUMANOS: UMA CONTRIBUIÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL

Adeilza Clímaco Ferreira, Carla Montefusco Oliveira

Resumo

O presente artigo tem a finalidade de proporcionar um debate sobre a relação entre Direitos Humanos e os processos de Inquirição Judicial destinado aos casos de violência sexual contra crianças e adolescentes e os desafios postos aos profissionais de Serviço Social. O percurso teórico metodológico tem como elemento chave a análise bibliográfica e documental, tomando como referência o debate sobre as categorias que perpassam a abordagem crítica sobre o tema. A consolidação dos Direitos Humanos em âmbito internacional e nacional é permeado por um campo de ambiguidades e contradições que tem implicações na garantia de direitos e no enfrentamento as formas de violação presentes nesta sociabilidade. No Brasil, ao analisarmos o debate atinente à população Infanto-Juvenil, observa-se que as ações realizadas como forma de romper com o ciclo de violência sexual acabam proporcionando um processo de revitimização e responsabilização da vítima. A Inquirição Judicial nestes casos passou a ser implementada pelo poder judiciário no país com a justificativa de proporcionar a proteção integral aos sujeitos vitimados. Neste cenário, os profissionais de Serviço Social estão sendo chamados a atuar como intérprete do Juiz no desenvolvimento da inquirição, ferindo os preceitos do Código de Ética e do seu projeto ético-político. Além disso, ressalta-se que esses processos de inquirição judicial transferem a responsabilidade para a vítima e acaba por priorizar a produção de provas em detrimento da garantia de direitos humanos das crianças e adolescentes.

Palavras-chave

Direitos Humanos; Inquirição Judicial; Violência Sexual; Serviço Social;

Texto completo:

Visualizar PDF

Referências

AZAMBUJA, Maria Regina Fay de. A interdisciplinaridade na violência sexual. Serviço Social & Sociedade n. 115. Especial. Área Sociojurídica. São Paulo, Cortez Editora, julho/setembro de 2013. p. 487-507.

AZEVEDO, M. A. E GUERRA, V. N. A. infância e violência doméstica: fronteiras do conhecimento. 5 ed. São Paulo, Cortez, 2009, p.29-54.

BARROCO, M. L. S. Direitos Humanos e desigualdade. In: As Novas Faces da Barbárie Capitalista: desigualdade se combate com direitos. Brasília: CFESS, 2013.

BRASIL. Lei nº 13.431/2017. Estabelece o sistema de garantia de direitos da criança e do adolescente vítima ou testemunha de violência. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/L13431.htm. Acesso em: 26 de abr. de 2017.

CHAUÍ, M. Simulacro e poder: uma análise da Mídia. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2006.

CHESNAIS, François (Org.). A finança mundializada. São Paulo: Boitempo, 2005.

CHUAIRI, Silvia Helena. Assistência jurídica e Serviço Social: reflexões interdisciplinares. In: Revista Serviço Social e Sociedade. São Paulo, n. 67, pg. 124-144, set. 2001.

CFESS. Código de ética do/a assistente social. Lei 8.662/93 de regulamentação da profissão. 10ª ed. rev. e atual. Brasília: 2012. Disponível em: http://www.cfess.org. br/arquivos/CEP_CFESS-SITE.pdf. Acesso em: 22 mai. 16.

_____. RESOLUÇÃO CFESS Nº 554/2009 de 15 de setembro de 2009. Disponível em: http://www.cfess.org.br/arquivos/Resolucao_CFESS_554-2009.pdf. Acessado em: 21 de abr. de 2018.

CRESS/SP. Nota Técnica sobre a Participação de Assistente Social no Depoimento Sem Dano. CRESS 9ª Região/SP. 1ª Edição, março, 2016.

DIAS, E. F. Textos didáticos: a liberdade (im)possível na ordem do capital-reestruturação produtiva e passivização. IFCH, UNICAMP, 1997.

FÁVERO, Eunice Terezinha. Depoimento sem Dano: metodologia, polêmicas e questões técnicas e éticas sobre a participação do assistente social. Revista Serviço Social & Sociedade n.95, Especial. p. 189-202.São Paulo, Cortez, 2008.

¬¬_____. Parecer técnico: Metodologia “Depoimento sem Dano”, ou “Depoimento com Redução de Danos”. Disponível em: . Acesso em 20 de abr. 2016.

FREIRE, S. M. (Org.). Direitos Humanos e Questão Social na América Latina. Rio de Janeiro: Gramma, 1ª ed., 2009.

______. Direitos Humanos no Brasil: aportes para a compreensão das ambiguidades e armadilhas persistentes. In: Revista Em Pauta. Rio de Janeiro, nº34, v.12, p.71-89, 2014.

FUZIWARA, Aurea Satomi. Escuta ou Inquirição? O desafio de efetivar os direitos humanos da criança e do adolescente no novo milênio. In AASPTJ-SP e CRESS-SP (orgs.). Violência sexual e escuta judicial de crianças e adolescentes. A proteção de direitos segundo especialistas. São Paulo, Associação dos Assistentes sociais e Psicólogos do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e Conselho Regional de Serviço Social do Estado de São Paulo, 2012.

HARVEY, David. O neoliberalismo: história e implicações. São Paulo: ed. Loyola, 2005.

IAMAMOTO, Marilda. Serviço Social em tempos de Capital Fetiche: capitalismo financeiro, trabalho e questão social. São Paulo, Cortez, 2007.

_____. Projeto Profissional, espaços ocupacionais e o trabalho do (a) assistente social na atualidade. Atribuições privatizas em questão. Brasília, CFESS, 2002.

MARX, Karl. A Questão Judaica. Rio de Janeiro, Achiamé, 1975.

MÉSZÁROS, I. Filosofia, Ideologia e Ciência Social: ensaios de negação e afirmação. São Paulo, Ensaios, 1993.

______. Para além do Capital: rumo a uma teoria de transição. São Paulo, Boitempo Editorial, 2002.

NASCIMENTO, André. Depoimento sem dano: o Projeto Paulista. In AASPTJ-SP e CRESS-SP (orgs.). Violência sexual e escuta judicial de crianças e adolescentes. A proteção de direitos segundo especialistas. São Paulo, Associação dos Assistentes sociais e Psicólogos do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e Conselho Regional de Serviço Social do Estado de São Paulo, 2012a.

NETTO, J. P. Democracia e Direitos Humanos na América Latina: aportes necessários ao debate. In: FREIRE, S. M. (org.) Direitos Humanos e Questão Social na América Latina. Rio de Janeiro, Gramma, 2009, 1ªed.

______. FHC e a política social: um desastre para as massas trabalhadoras. In: LESBAUPIN, I. (org.). O Desmonte da Nação: balanço do governo FHC. Petrópolis, Vozes, 1999.

SANTOS, S. M. M. Direitos Humanos, dominação Ideológica e Resistência. In: Revista Inscrita. CFESS, ano VIII, nº XI, 2009.

SANTOS, B. R.; GONÇALVES, I. B (Orgs.). Catálogo das experiências alternativas de tomada de depoimento especial de crianças e adolescentes no mundo: leitura socioantropológica e quadro sinótico. In: Depoimento sem medo (?). Culturas e práticas não-revitimizantes. Uma cartografia das experiências de tomada de depoimento especial de crianças e adolescentes. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos. São Paulo: Childhood Brasil (Instituto WCF-Brasil), 2008.

TERRA, Sylvia Helena. Código de Ética do (a) Assistente Social: comentários a partir de uma perspectiva jurídico-normativa crítica. BARROCO, M.L.S. e TERRA, S.H. Código de Ética do/a Assistente Social Comentado. São Paulo, Cortez, 2012.

Facebook

Visualizações do PDF:

33 views


Visualizações do Resumo:

77 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.