Assessoria em Serviço Social

Nasciara Nascimento Souza

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir às assessorias prestadas por assistentes sociais, à luz dos referenciais teóricos, metodológicos e dos dispositivos jurídicos da profissão. Este estudo apresenta as assessorias enquanto espaços públicos que demandam canais de diálogo com o público alvo e com as organizações empregadoras e evidencia o aspecto privativo do assessoramento enquanto matéria do Serviço Social, destacando a competência técnica para emitir pronunciamento sobre o tema como direito do assistente social. A abordagem foi realizada a partir da revisão bibliográfica e análise documental. Os resultados evidenciaram que as assessorias e consultorias demandam ao Serviço Social, enquanto competência técnica e atribuição privativa da categoria a leitura crítica da realidade e das refrações capitalistas sobre o mundo do trabalho, a apropriação do conhecimento científico, a revisitação das teorias que embasam a profissão, a utilização dos referenciais jurídicos e normativos, para a emissão de um juízo de valor crítico e ético que expresse o seu compromisso com o usuário.

Palavras-chave

Assessoria; Consultoria;Serviço Social

Texto completo:

Visualizar PDF

Referências

ANTUNES, Ricardo. Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 16. ed. São Paulo: Cortez, 2015.

BASTOS, Murillo Vilela. Saúde e previdência social no Brasil: o impacto da previdência social na organização dos serviços médicos. Rio de Janeiro: FGV, 1978.

BARROCO, Maria Lúcia Silva. Ética e serviço social: fundamentos ontológicos. 7.ed. São Paulo: Cortez, 2008.

BRASIL, Lei nº 8.662/1993. Dispõe sobre a profissão de Assistente Social e dá outras providencias.

BRAVO, Maria Inês Souza; MATOS, Maurílio Castro de (orgs.). Assessoria, Consultoria & Serviço Social. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

COELHO, Marilene. Imediaticidade na Prática Profissional do Assistente Social. Rio de Janeiro: Lúmen Júris, 2013.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Código de Ética Profissional do Assistente Social, 1993.

________________(org). O Estudo social em perícias, laudos e pareceres técnicos: contribuição ao debate no judiciário, penitenciário e na previdência social. São Paulo: Cortez, 2003.

DIAS, E.F. A Liberdade (im)possível na ordem do capital: reestruturação produtiva e passivização. UniCamp/IFCH, 1999.

COCCO, G. Neoliberalismo, sociedade civil e nova centralidade no Trabalho. Revista Praia Vermelha. Vol 2, Rio de Janeiro. DP&A, 1998, p 7-31.

FALEIROS, Vicente de Paula. Saber profissional e poder institucional. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1987.

GUERRA, Yolanda. Transformações societárias, Serviço Social e cultura profissional: mediações sócio-históricas e ético-políticas. In: MOTA; Ana Elizabete; AMARAL, Ângela. (orgs). Cenários, contradições e pelejas do Serviço Social Brasileiro. São Paulo: Cortez, 2016.

GURGEL, C. A gerência do pensamento: gestão contemporânea e consciência neoliberal. São Paulo: Cortez. 2003.

IAMAMOTO, Marilda Villela. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil: esboço de uma interpretação histórico-metodológica. 16. ed. São Paulo: Cortez, 2004.

LEITE, J.L. Trabalho e (des) Emprego na atualidade: Prometeu passivizado. In: Montaño, C.E. & Bastos, R.L. Conhecimento e Sociedade – ensaios marxistas. São Paulo: Outras Expressões, 2013, p. 187-210.

LESSA, S. A materialidade do trabalho e o “trabalho imaterial”. Revista Outubro. n. 8, São Paulo, Instituto de Estudos Socialistas, 2003, p. 27-46.

MATOS, Maurílio Castro de. Assessoria, consultoria, auditoria, supervisão técnica. In: CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL – CFESS, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL – ABEPSS. Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais. Brasília: CFESS/ABEPSS, 2009.

MÉSZÁROS, István. A crise do capital. Editora Boitempo, São Paulo, 2009.

MOTA, Ana Elizabete da. O Feitiço da Ajuda: as determinações do Serviço Social na Empresa. 6ª Ed. São Paulo: Cortez, 2010.

NETTO, José Paulo. Capitalismo monopolista e Serviço Social. 3ª Ed. São Paulo: Cortez, 2001.

PONTES, Reinaldo Nobre. Mediação e Serviço Social. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1977.

SILVA, Márcia Nogueira da. Assessoria em Serviço Social: breves notas sobre o trabalho profissional na área da infância e juventude no Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. In: FORTI, Valéria; GUERRA, Yolanda (ogs). Serviço Social: temas, textos e contextos. 5 ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2016.

TEIXEIRA, Aloízio. Do seguro à seguridade: a metamorfose inconclusa do sistema previdenciário brasileiro. Rio de Janeiro: IEI/UFRJ, 1990.

TELES, Lucia. A contribuição dos assistentes sociais no processo de assessoria às políticas sociais públicas. (dissertação de mestrado). Porto Alegre, FSS/ PUC-RS, 2012. Disponível em http://tede2.pucrs.br/tede2/bitstream/tede/527/1/443982.pdf. Acesso em 11 de janeiro de 2017.

VASCONCELOS, Ana Maria. Relação teoria/prática: o processo de assessoria/consultoria e o Serviço Social. In: Revista Serviço Social & Sociedade. v. 19, n. 56, abr. 1998.

__________________. A/o assistente social na luta de classes: projeto profissional e mediações teórico-práticas. São Paulo, Cortez, 2015.

VIEIRA, Balbina Otoni. Modelo de Supervisão em Serviço Social. Rio de Janeiro: Agir, 1981.

Facebook

Visualizações do PDF:

44 views


Visualizações do Resumo:

132 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.