DA TRADIÇÃO PROGRESSISTA DA MODERNIDADE À DECADÊNCIA IDEOLÓGIDA DA BURGUESIA: questões para o Serviço Social

Carmen Ferreira Corato Costa

Resumo

Este paper tem por objeto a constituição da razão moderna (componente fundamental da Modernidade), no âmbito da tradição progressista do Iluminismo, e suas dificuldades na sequência das revoluções de 1848 – o desenvolvimento do conservadorismo e o surgimento do moderno irracionalismo (com sua influência mais recente nas teorias pós-modernas). O referencial a que remete a argumentação é a teoria marxiana da decadência ideológica da burguesia, explorada especialmente por Lukács.

Palavras-chave

Palavras-chave: Iluminismo; Modernidade; Pensamento conservador e Pós-modernidade; Serviço Social.

Texto completo:

Visualizar PDF

Referências

BOTTOMORE, T. B., NISBET, R. História da Análise Sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

COUTINHO, C. N. O estruturalismo e a miséria da razão. S. Paulo: Expressão Popular, 2010.

EAGLETON, T. As ilusões do pós-modernismo. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.

____________. Depois da teoria: um olhar sobre os estudos culturais e o pós-modernismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

ESCORSIM NETTO, L. O conservadorismo clássico: elementos de caracterização e crítica. S. Paulo: Cortez, 2011.

FREDERICO, C. O jovem Marx: 1843-1844. As origens da ontologia do ser social. S. Paulo: Expressão Popular, 2009.

HARVEY, D. Condição pós-moderna. S. Paulo: Edições Loyola, 2008.

HOBSBAWM, E. J. Era dos extremos. O breve século XX (1914-1991). S. Paulo: Cia. das Letras, 1995.

HORKHEIMER, M. Crítica de la razón instrumental. Buenos Aires: Sur, 1973.

IAMAMOTO, M. V. Renovação e conservadorismo no Serviço Social. Ensaios críticos. S. Paulo: Cortez, 1994.

LESSA, S. Capital e Estado de Bem-Estar. O caráter de classe das políticas públicas. S. Paulo: Instituto Lukács, 2013.

LÖWY, M. As aventuras de Karl Marx contra o Barão de Münchhausen. S. Paulo: Cortez, 1994.

LUKÁCS, G.. El asalto a la razón: la trayectoria del irracionalismo desde Schelling hasta Hitler. México: Fondo de Cultura Económica, 1959.

__________. Para uma ontologia do ser social. S. Paulo: Boitempo, I, 2012.

__________. O jovem Marx e outros escritos de filosofia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2ª ed., 2009.

__________ . Marxismo e teoria da literatura. S. Paulo: Expressão Popular, 2ª ed., 2010.

MARCUSE, H. Razão e revolução: Hegel e o advento da teoria social. S. Paulo: Paz e Terra, 2004.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos e outros textos escolhidos. S. Paulo: Abril Cultural/Os pensadores, 2ª ed., 1978.

________. O capital: crítica da Economia Política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileiro, I, 2006.

_______. Contribuição à crítica da Economia Política. S. Paulo: Expressão Popular, 2007.

MARX, K., ENGELS, F. Manifesto do partido comunista. S. Paulo: Cortez, 1998.

__________________. A ideologia alemã. S. Paulo: Martins Fontes, 2001.

MÉSZÁROS, I. Para além do capital. S. Paulo: Boitempo, 2002.

NETTO, J. P. Crise do socialismo e ofensiva neoliberal. Cortez: S. Paulo, 1993.

__________ . “Razão, ontologia e práxis”. Serviço Social e Sociedade. S. Paulo: Cortez, ano XV, nº 44, abril/1994.

__________ . “Transformações societárias e serviço social”. Serviço Social e Sociedade. S. Paulo: Cortez, ano XVII, nº 50, abril/1996.

__________. Capitalismo monopolista e Serviço Social. S. Paulo: Cortez, 2011.

__________. “Uma face contemporânea da barbárie”. In Gilmaísa M. C., Souza, R. (orgs.). O social em perspectiva. Políticas, trabalho, serviço social. Maceió: EDUFAL, 2013.

NETTO, J. P., BRAZ, M. Economia Política: uma introdução crítica. S. Paulo: Cortez, 6ª ed., 2010.

NISBET, R. O conservadorismo. Lisboa: Estampa, 1987.

PRIBERAM. DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA. Disponível em: https://www.priberam.pt/dlpo/. Acesso em: 04 agos 2017.

ROUANET, S. P. As razões do iluminismo. S. Paulo: Companhia das Letras, 1987.

SANTOS, J. S. Neoconservadorismo pós-moderno e Serviço Social brasileiro. S. Paulo: Cortez, 2007.

TOCQUEVILLE, A. de. Lembranças de 1848: as jornadas revolucionárias em Paris. S. Paulo: Companhia das Letras, 2011.

WOOD, E. M., FOSTER, B. J. (orgs.). Em defesa da história: marxismo e pós-modernismo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

Facebook

Visualizações do PDF:

34 views


Visualizações do Resumo:

64 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.