O COMPROMISSO ÉTICO POLÍTICO DO SERVIÇO SOCIAL E A DEFESA DOS DIREITOS DOS REFUGIADOS

Tathiana Costa dos Santos

Resumo

Este artigo objetiva realizar uma reflexão sobre a temática do refúgio na sociedade brasileira, a partir do olhar do Serviço Social, destacando a contribuição desta profissão na luta pela eliminação do desrespeito a todos os grupos historicamente discriminados e oprimidos por suas diferenças de classe, gênero, orientação sexual, etnia ou país de origem, em função da construção de uma sociedade mais justa e ética. A escolha pela temática justifica-se por sua complexidade e desafios que surgem no cotidiano de trabalho de diferentes categorias profissionais, requerendo múltiplos olhares voltados para a defesa, a garantia e a materialização dos direitos da população refugiada. Para este trabalho, foram analisados o Código de Ética Profissional de 1993, a Lei 9.474/97 e alguns textos referentes à temática do refúgio. O resultado desta análise aponta que defender e lutar garantia dos direitos da população refugiada corresponde a um grande desafio na sociedade brasileira atual, e por isto, ainda temos um longo e árduo caminho a percorrer.

Palavras-chave

Serviço Social. Direitos. Refúgio. Código de Ética.

Texto completo:

PDF

Referências

ACNUR. Manual de Procedimentos e Critérios para a Determinação da Condição de Refugiado: de acordo com a Convenção de 1951 e o Protocolo de 1967 relativos ao estatuto dos refugiados, 2011.

BOSCHETTI, Ivanete. A agudização da barbárie e desafios ao Serviço Social. Serviço Social e Sociedade, n. 128, p. 54-71, jan./abr. 2017.

BRASIL. Código de ética do/a assistente social. Lei 8.662/93 de regulamentação da profissão. - 9. ed. rev. e atual. - Brasília: Conselho Federal de Serviço Social, 2011. 14

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL (CEFESS). Serviço Social e Reflexões Críticas sobre Práticas Terapêuticas. Brasília: CFESS, 2010.

CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL (CRESS 7ª Região). Projeto ético político e exercício profissional em serviço social: os princípios do código de à atuação crítica de assistentes sociais. Rio de Janeiro: CRESS, 2013.

FACUNDO NAVIA, Angela. Êxodos e refúgios: colombianos refugiados no Sul e Sudeste do Brasil. Tese de Doutorado. Programa de Pós Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional, UFRJ, 2014. (Capítulo 9)

GOMARASCA, Paolo. Direito de excluir ou dever de acolher? A migração forçada como questão ética. REMHU, Revista Interdisciplinar de Mobilidade Humana. 2017, vol.25, n.50, pp.11-24.

IAMAMOTO e CARVALHO, Marilda Villela e Raul de. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil: Esboço de uma interpretação histórico-metodológica 11ª ed. São Paulo: Cortez. 1996, p. p. 94

IAMAMOTO, Marilda V. O Serviço Social na contemporaneidade; trabalho e formação profissional. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1999.

MARQUES, Eduardo Cesar Leão. Notas críticas à literatura sobre o Estado, políticas estatais e atores políticos. BIB- Boletim Informativo Bibliográfico 43, 1997.

MONTAÑO, Carlos. Um projeto para o Serviço Social crítico. KATÁLYSIS v. 9 n. 2 jul./dez. 2006 Florianópolis SC 141-157.

MOREIRA, Julia Bertino. Refugiados no Brasil: reflexões acerca do processo de integração local. REMHU - Revista Interdisciplinar de Mobilidade Humana. Brasília, Ano XXII, n. 43, p. 85-98, jul./dez, 2014.

MOULIN, Carolina. Os Direitos Humanos dos Humanos Sem Direitos: refugiados e a política do protesto. In: Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 26, n. 76. jun 2011. p. 145-155.

NETTO, José Paulo. Uma face contemporânea da barbárie. In: Encontro Internacional "civilização ou barbárie", 3., Serpa, 30-31 oct. 1º nov. 2010.

TELLES, Vera da Silva. Questão Social: afinal do que se trata? São Paulo em Perspectiva, vol. 10, n. 4, out-dez/1996. p. 85-95.

WAISMAN, Hannah; SERRICELLA, Giuliana. Um olhar sobre as relações humanas em uma entrevista de refúgio. REMHU, Revista Interdisciplinar de Mobilidade Humana. 2016, vol.24, n.48 pp.205-210.

WALDELY, Aryadne Bittencourt; VIRGENS, Bárbara Gonçalves das; ALMEIDA, Carla Miranda Jordão de. Refúgio e realidade: desafios da definição ampliada de refúgio à luz das solicitações no Brasil. REMHU- Revista Interdisciplinar de Mobilidade Humana. Brasília, v. 22, n. 43, p. 117-131, 2014.

WALDELY, Aryadne Bittencourt e FIGUEIRA, Luiz Eduardo. “Eles fazem de tudo para pegar as pessoas”: avaliação de credibilidade nos pedidos de refúgio no Brasil. In V ENADIR, GT. 03, Migrações, refúgio, mobilidades: direitos, políticas e sujeitos, 2017.

Facebook

Visualizações do PDF:

18 views


Visualizações do Resumo:

21 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.