Analises dos padrões e estilos de canais a partir da paisagem geomorfológica fluvial na Bacia do Rio UNA/PE

Adriana Cassiano Silva, Osvaldo Girão da Silva

Resumo

Os estilos fluviais refletem a fisiografia estrutural da rede de drenagem controladas pelos estratos rochosos, retratando na paisagem sua dinâmica, assim como os padrões de canais, que podem ser alterados por processos geomorfológicos, climáticos e antrópicos. O quadro dos estilos fluvial fornece um modelo geomorfológico dos processos espaciais e temporais biofísicos para gestão e planejamento das bacias hidrográficas. O presente trabalho teve como objetivo analisar as influências do comportamento no canal da bacia do rio Una localizado no Nordeste do Estado de Pernambuco, a partir da investigação das feições da drenagem como reflexo da transferência de matéria e energia entre distintos compartimentos e setores do ambiente fluvial. A metodologia baseou-se em (Brierley & Fryirs, 2005), a partir da avaliação do índice de sinuosidade, mapeamento dos estilos e das feições fluviais, perfis longitudinais e trabalhos de observação em campo. Assim, constatou-se que a influência estrutural na rede de drenagem da referida bacia comandou a retilineidade do canal Una, com quebra no gradiente topográfico, inflexão do canal e vales encaixados. Nesse ambiente, constatou que a produção e deposição dos sedimentos estão vinculados as influências do clima tropical.

Palavras-chave

Feição Fluvial, Estrutura, Instabilidade, Deposição de Sedimentos.

Texto completo:

Visualizar PDF

Referências

DOI:https://doi.org/10.22238/rc24482692v14n22016p71a92

ALMEIDA, F. F. M.; HASUI, Y.; BRITO NEVES, B. B.; FUCK, R. A. Províncias Estruturais Brasileiras. In: SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DO NORDESTE, 8, Campina Grande – PB, Atas... Campina Grande: SBG, Núcleo Nordeste, 1977, p.363-391.

ALMEIDA, F. F. M.; LEONARDOS, O. H.; VALENÇA, J. Review on granitic rocks of Northeast South America. In: SYMPOSIUM ON NORTHEAST SOUTH AMERICA GRANITES, 1, 1967. Recife – PE. Resumes... Recife: IUGS/UNESCO, 1967, 41p.

ALMEIDA, F. F. M., BRITO NEVES, B. B., CARNEIRO, C. D. R. The origin and evolution of the South American Platform. Earth-Science Reviews. 50, 77-111. 2000.

APAC – Agência Pernambucana de Águas e Clima

BRIERLEY, G. J.; FRYIRS, K. A. Geomorphology and river management: applications of the river styles framework.Victoria: Blackwell Publishing (commerce place, 350 main street, Malden, may 02148, USA), 398p, 2005.

BRIERLEY, G.J.; FRYIRS, K.A. The River Styles framework: The short course conceptual book. Macquarie Research Limited, 2003.

BRITO, M.F.L; FILHO, A.F.S., GUIMARÃES, I.P., Caracterização geoquímica e isotópica do batólito Serra do Catu e sua evolução da interface dos domínios Sergipano e Pernambuco-Alagoas, Província Borborema. Revista Brasileira de Geociências, Recife 2009. 324-337p.

BRITO NEVES, B. B., CAMPOS NETO, M.C., VAN SCHMUS, W.R., SANTOS, E.J. O sistema Pajeú-Paraíba e o maciço São José do Campestre no leste da Borborema. Revista Brasileira de Geociências, v. 31. p. 1-15. 2001a.

BRITO NEVES, B. B., CAMPOS NETO, M.C., VAN SCHMUS, W.R., FERNANDES, T.M.G., SOUZA, S. O terreno alto Moxotó no leste da Paraíba (maciço Caldas Brandão). Revista Brasileira de Geociências, v. 31. p.16-31. 2001b.

BRITO NEVES, B. B.; VAN SCHMUS, W. R.; FETTER, A. H. Noroeste da África – Nordeste do Brasil (Província Borborema): Ensaio comparativo e problemas de correlação. Revista do Instituto de Geociências – USP, série científica, v.1, p.59-78, 2001c. 152

CHORLEY, R.J. & KENNEDY, B.A., Physical Geography: A Systems Aproach, London: Prentice Hall. 1971. 370p.

CHRISTOFOLETTI, A., Geomorfologia Fluvial. São Paulo: Edgard Blucher, 1981.

DAVIS, W.M. The geographical cycle. Geographical Journal, 14(5),481-504,1899.

ETCHEBEHERE, M. L. C. et al. Detecção de Prováveis Deformações Neotectônicas no Vale do Rio do Peixe, Região Ocidental Paulista, Mediante Aplicação de Índices RDE (Relação Declividade-Extensão) em Segmentos de Drenagem.UNESP, Geociências, v. 25, n. 3, São Paulo, 2006. 271-287p.

GUEDES, I. C.; SANTONI, G.C.; ETCHEBEHERE, M.L.C; STEVAUX, J.C. STEVAUX; MORALES, N.; SAAD, A.R., Análise de Perfis Longitudinais de Drenagens da Bacia do Rio Santo Anastácio(SP) para Detecção de Possíveis Deformações Neotectônicas. Revista UnG – Geociências V.5, N.1, 2006, 75-102. 28p.

HACK, J. T. Stream-profile analysis and stream-gradient index. U.S. Geol. Survey, Jour. Research, Washington, v. 4, n. 1. p. 421-429. 1973.

KELLERHALS, R., CHURCH, M., BRAY, D.I., Classification and Analysis of river processes. Journal of Hidraulics Division, American Society of Civil Engeneers, 102: 1976, 813-829.

KLEINA,M., PAULA, E.V., SANTOS, L.J.C., Análises Comparativa dos Estilos Fluviais do rio Sagrado (Morretes/PR) para os anos de 2006 e 2011. Revista Geografar, Curitiba, v.9, n.1, 2014. p.27-44.

KONDOLF, G.M.; MONTGOMERY, D.R.; PIEGÁY, H.; SCHMITT, L., Geomorphic Classification of Rivers and Streams. In: KONDOLF, G.M. & PIEGÁY, H. Tools in Fluvial Geomorphology. 2003. p.171-204.

LIMA FILHO, M. F; BARBOSA J. A.; NEUMANN, V.H; SOUZA, E. M. Evolução estrutural comparativa da Bacia de Pernambuco e da Bacia da Paraíba. X Simpósio Nacional de Estudos Tectônicos e IV International Symposium on Tectonics of the Brazilian Geological Society. Curitiba- PR. 2005.

LIMA, R. N. S. Conectividade dos ambientes fluviais: implicações para avaliação da sensibilidade do sistema de drenagem da bacia do Rio Macaé (RJ). 128 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Departamento de Geografia, Instituto de Geociências, Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

OLIVEIRA, R.G. Arcabouço Geofísico, Isostasia e Causas do Magnetismo Cenozóico na Província da Borborema e de Sua Margem Continental (Nordeste do Brasil). UFRN. Natal, 2008. Tese. 415p.

NASCIMENTO, M. A. L. Geologia, geocronologia, geoquímica e petrogênese das rochas ígneas cretáceas da província magmática do Cabo e suas relações com as unidades sedimentares da Bacia de Pernambuco, NE do Brasil. Natal, RN. 235f. 2003. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2003.

MABESOONE, J. M. & CASTRO, C. Desenvolvimento Geomorfológico do nordeste brasileiro. B. Soc. Geol. Núcleo Nordeste, v.3, p.5-36, 1975.

SCHUMM, S. A. Evolution and response of the fluvial system: Sedimentologic

implications. SEPM Special Publucation, v. 31, p. 19-29, 1981.

SCHUMM, S. A. River Variability and Complexity. Colorado State University, 2005.

Facebook

Visualizações do PDF:

103 views


Visualizações do Resumo:

227 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.