Resistências cultural e política na ditadura militar: o front cultural e a Frente Ampla na luta por democracia (1966-1968)

Thiago Bicudo Castro

Resumo

A Frente Ampla foi uma iniciativa de caráter político e liberal para fazer oposição ao regime ditatorial instaurado com o golpe de 1964. Entre seus representantes estavam intelectuais de diferentes orientações ideológicas e políticos alijados pelo regime. Este artigo apresenta a forma como a Frente Ampla foi constituída e seus principais objetivos, a partir da leitura de três jornais da época, Correio da Manhã, Jornal do Brasil e o alternativo Folha da Semana. As representações intelectuais promovidas por estes periódicos a respeito da Frente Ampla foram analisadas a partir do referencial teórico oferecido por Raymond Williams. Assim, verificou-se que a maneira como os jornais e os intelectuais pensavam a Frente Ampla enquanto forma de resistência esteve inserida no contexto de emergência de uma estrutura de sentimento dos liberais críticos.

Palavras-chave

Frente Ampla; Folha da Semana; resistência cultural; imprensa; intelectuais

Texto completo:

Visualizar PDF

Referências

CEVASCO, Maria Elisa. Para Ler Raymond Williams. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

CHAMMAS, Eduardo Zayat. A Ditadura Militar e a Grande Imprensa: Os Editoriais do Jornal do Brasil e do Correio da Manhã entre 1964 e 1968. Dissertação (Mestrado) – FFLCH, Departamento de História. Programa de Pós-Graduação em História Social, São Paulo, 2012.

CZAJKA, Rodrigo. Páginas de Resistência: Intelectuais e Cultura na Revista Civilização Brasileira. Dissertação (Mestrado) – Departamento de Sociologia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005

.

FERREIRA, Jorge. João Goulart: Uma Biografia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

FILMER, Paul. A Estrutura do Sentimento e das Formações Sócio-Culturais: O Sentido de Literatura e de Experiência para a Sociologia da Cultura de Raymond Williams. Tradução de: OLIVI, Leila Curi R. Estudos de Sociologia, Araraquara, v. 14, nº 27, 2009.

MENDONÇA, Maria Gusmão de. O Demolidor de Presidentes. São Paulo: Códex, 2002.

NAPOLITANO, Marcos. Coração Civil: Arte, Resistência e Lutas Culturais Durante o Regime Militar Brasileiro (1964-1980). Tese (Livre-docência) – Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. São Paulo, 2011.

RIDENTI, Marcelo. Em busca do Povo Brasileiro: Artista da Revolução, do CPC à Era da TV. Rio de Janeiro: Record, 2000.

RIDENTI, Marcelo. Artistas e Intelectuais no Brasil Pós-1960. Revista Tempo Social. Revista de Sociologia da USP. São Paulo, v. 17, nº 1, p. 81-110, 2005.

WEFFORT, Francisco. O Populismo na Política Brasileira. 5ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2003.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e Literatura. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

WILLIAMS, Raymond. Cultura. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1992.

Jornais e sites consultados

FERNANDES, Helio. Entrevista ao site Tribuna da Internet. Disponível em: http://tribunadainternet.com.br/a-morte-de-rafael-de-almeida-magalhaes-nao-cumpriu-o-perfil-e-o-destino-de-presidente-da-republica-seu-caminho-foi-truncado-pelo-golpe-de-64-como-teotonio-vilela-entrou-na-arena-achava-melhor-o-c/ Acesso em: 04/10/2017.

Folha da Semana

A Frente Ampla. Folha da Semana, Rio de Janeiro, editorial, p. 2, 13 a 19 de out. de 1966.

Jango manda carta de apoio à Frente Ampla. Folha da Semana, Rio de Janeiro, capa, 7 de out a 02 de nov de 1966.

Carta de Jango dá adesão à Frente Ampla. Folha da Semana, Rio de Janeiro, p. 3, 7 de out. a 02 de nov. de 1966.

JK e Lacerda querem tirar partido da Frente. Folha da Semana, Rio de Janeiro, p. 3, 24 a 30 de nov. 1966.

Os marechais. Folha da Semana, Rio de Janeiro, editorial, p. 2, 1º a 7 de dezembro de 1966.

Jornal do Brasil

Além da Fronteira. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, editorial, 27 de set. de 1967.

Facebook

Visualizações do PDF:

208 views


Visualizações do Resumo:

128 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.